Viajando para a China

Correio da Cidadania

WPO | ART | CCD | Viajando para a China, n. 412, 28 ago. 2004.

 

 

Nesta e nas próximas semanas estarei deixando de lado os problemas e dificuldades brasileiros e falando apenas da China. Tive que viajar para cá a trabalho, para participar da primeira grande exposição brasileira a realizar-se em Beijing. Assim, não me resta outra opção, para manter minha participação no Correio, a não ser comentar um pouco o cotidiano chinês e as perspectives desse país.

A viagem para este outro lado do mundo continua penosa. Além da diferença de fuso horário de 11 horas, são 22 horas voando sobre o Báltico, Letônia, Rússia e Mongólia, mais o tempo gasto em conexões. Certamente muito melhor do que as 28 horas voando sobre o Golfo Pérsico e Índia, de anos atrás, quando o espaço aéreo soviético estava fechado por causa da Guerra Fria, mas mesmo assim ainda um estirão.

A exposição terá inicio no dia 31 de agosto, com a presença de quase cem empresas e instituições brasileiras, com o intuito de mostrar aos chineses um pouco mais sobre as nossas potencialidades e possibilidades em diversos setores econômicos, científicos, tecnológicos, culturais e esportivos. E também de fazer com que os brasileiros presentes conheçam algo mais do que e normalmente publicado na imprensa ocidental a respeito da China.

Afinal, para a grande maioria do povo brasileiro, a China continua um enigma. A propaganda americana predominante entre nós, em particular, continua explorando os temas relacionados com a miséria, o barbarismo e a tirania que seriam próprios dos chineses (e dos asiáticos em geral, para que não se pense que o alvo é apenas a China). Parte da esquerda, por outro lado, no fundo repete a mesma coisa, só que de outra forma. A miséria, o barbarismo e a tirania estariam presentes (ou teriam retornado) porque as atuais lideranças chinesas teriam abandonado o ideal revolucionário e transformado a China num país capitalista como outro qualquer.

Essas idéias, ainda hoje arraigadas em boa parte das mentes dos que viram a exposição, sofrerão o teste da realidade. Vamos conferir.

 

Wladimir Pomar é escritor e analista político.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *