Quem enterra o PT?

Correio da Cidadania

WPO | ART | CCD | Quem enterra o PT?, n. 462, 20 ago. 2005.

 

 

Na presente crise política, iniciada com o caso Waldomiro Diniz, de vez em quando os tucano-pefelistas seguem os ataques irados da ultra-esquerda e direcionam suas baterias contra o governo Lula, sugerindo o impedimento do presidente. No entanto, logo se recuperam, recuam, e recalibram sua mira contra seu inimigo principal: o PT.

Roberto Jefferson, Artur Virgílio, Jorge Bornhausen, todos eles sabem que a condição para derrubar ou derrotar Lula está na destruição do PT. Se este não se recuperar do estrago que lhe está sendo causado por um bando de malfeitores que se enquistou em sua direção, não será apenas a sorte do governo Lula que estará selada. É toda a esquerda que vai levar outros dez ou vinte anos para renascer como força política, por mais que alguns desavisados acreditem que podem beneficiar-se com a derrocada do PT.

São várias as forças que trabalham para enterrar o Partido dos Trabalhadores. Os representantes do capital financeiro, como os tucanos e pefelistas, que sempre acusaram o PT de “atrapalhar” a política econômica pallociana. Os setores difusos de vários outros interesses da burguesia, como muitos políticos do PMDB, PTB, PL e PP, que se aliaram ao PT na esperança de receberem dividendos polpudos por seu apoio ao governo, sentindo-se traídos porque o grupo que comandava o partido não cumpriu na
íntegra o prometido.

Também estão nessa missão representantes de alguns setores das classes médias e das camadas intelectuais, agrupados à direita ou à esquerda, no PPS, PV, PSTU e PSOL, que se sentiam mal com as alianças petistas, mas não se envergonham de sentar-se com o PSDB e o PFL para articular o fim do PT. E, como não podia deixar de ser, ativa como sempre, a grande imprensa, pautando a ação de parlamentares, escolhendo seus preferidos e desqualificando aqueles que buscam a verdade no cipoal de hipocrisia que
ela tece todo dia.

O pior é que, por outros motivos e por outros meios, os membros do Campo Majoritário petista também disputam a taça, na corrida pelo enterro do PT. Ainda não caíram na real, de que apoiaram um grupo de malfeitores, e se negam a tomar medidas contra eles. Com isso, impedem o PT de estancar a sangria provocada por seus atos e pelos ataques dos adversários, recuperar-se dos ferimentos e enfrentar a crise como deve. Consciente, ou inconscientemente, cooperam com a direita e com a ultra-esquerda na
disputa para saber quem vai enterrar o PT.

A única dúvida é saber se a militância aguerrida do PT será capaz de reagir a tempo de salvar o partido, ou ficará impotente diante do enterro que estão preparando.

Wladimir Pomar é escritor e analista político.

 

 

 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *