Pega ladrão!

Correio da Cidadania

WPO | ART | CCD | Pega ladrão!, n. 249, 16 jun. 2001.

 

 

O governo continua se esforçando para transformar sua irresponsabilidade em ação heróica e patriótica. FHC, por seu lado, classificou de demagogia a tentativa de se tirar proveito da crise, enquanto o PSDB, na propaganda pela televisão, acusa a oposição de desejar seca, inflação, desastres e tudo que exista de pior, para poder criticar o governo que, segundo ele, trata os assuntos do país com responsabilidade.

Estamos, dessa forma, diante do velho e conhecido golpe do ladrão que, para escapar, começa ele próprio a gritar “pega ladrão!”. Confundindo o esforço da sociedade com apoio a seu plano de racionamento, o governo aplica essa tática surrada para evitar a discussão sobre a responsabilidade pela crise e sobre a natureza desse plano.

Basta perguntar a qualquer brasileiro os motivos reais de seu esforço de racionamento para saber que a maioria o está aplicando por temor, tanto dos apagões, quanto das multas e cortes. Além disso, muitos já estão sofrendo outras conseqüências piores desse racionamento, ao serem despedidos do emprego e/ou a encerrarem suas atividades produtivas.

Apesar disso, FHC e seus aliados querem fazer crer que fizeram muito para evitar o pior, embora ainda não seja suficiente, deixando de fora qualquer avaliação da irresponsabilidade governamental na criação da crise em que o país se debate. Ao tempo que aplicam seu plano de racionamento e prometem investir, até 2005, na expansão dos sistemas de geração e transmissão de mais 25 mil megawatts, pretendem produzir, em 2002, um superávit de R$ 31,5 bilhões. Para quê? Para cumprir seus compromissos com o FMI e com os banqueiros internacionais.

Ora, FHC promete para 2005 a mesma eletricidade que deveria estar sendo ofertada a partir de 2001, promessa que não cumpriu justamente porque os recursos que deveriam ter sido investidos no setor energético foram empregados para pagar juros e serviços da dívida. Ao aplicar um plano de racionamento que é expressão das próprias políticas que levaram o Brasil e os brasileiros a sofrer uma das piores crises energéticas de sua história, e ao manter inalteradas essas políticas de submissão e dependência ao sistema financeiro e corporativo internacional, o governo FHC está apenas agravando todos os demais problemas com que o país se defronta. Leva-o rapidamente para a beira do abismo e, ao mesmo tempo, tira do governo que o suceder qualquer chance de investir para tirar o Brasil da crise.

Esse governo está conduzindo o país para o pior e, na tentativa desesperada de enganar a população, lança mão de um palhacinho para gritar “pega ladrão!”. As crescentes manifestações contra o governo e seu apagão são, porém, uma demonstração de quanto os brasileiros já sabem a respeito dos verdadeiros “ladrões” que devem ser apanhados.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *